Projeto megalomaníaco: a reconstrução do Colosso de Rhodes na Grécia

 

Um grupo de profissionais apresentou nos últimos dias um projeto para reconstruir o Colosso de Rhodes, estátua de 30m de altura considerada uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo. Contudo, a intenção não é apenas reedificar o monumento do deus Hélio, que ruiu em meio a um terremoto, em 226 a.C., mas sim construí-lo quatro vezes maior, com 150m de altura.

 

A enorme estátua será à prova de terremotos e coberta por painéis solares, o que a tornará autossuficiente em relação à energia. Dentro da estrutura, um museu guardará relíquias da Grécia Antiga, e contará também com uma livraria, um centro cultural e um hall de exibição. No topo da cabeça do deus, um mirante completa os planos da nova atração.

 

Confira o vídeo de apresentação:

 

 

A finalidade do Colossus of Rhodes Project é tanto impulsionar o turismo em Rhodes quanto criar empregos durante a crise econômica. Para financiar a construção, duas possibilidade são consideradas: patrocínio de instituições gregas e estrangeiras ou uma campanha de crowfunding. A obra, que levaria cerca de 4 anos para ser concluída, tem estimativa de custo em torno de €240-260 milhões.

 

Rhodes pertence às Ilhas do Dodecaneso, o mais distante dos arquipélagos gregos, próximo à costa da Turquia. A capital homônima teve uma significativa importância na Antiguidade Clássica, mas o seu apogeu foi durante a Idade Média, quando os Cavaleiros Hospitalários da Ordem de Malta ocuparam a ilha e construíram poderosas fortificações – hoje reconhecidas como Patrimônio Mundial da Unesco.

 

Do período clássico, remanesceram ruínas de teatros e templos das acrópoles de Rhodes e Lindos e a imagem do Colosso de Rhodes como uma das grandes construções do Mundo Antigo, junto a obras como as Pirâmides de Queóps e os Jardins Suspensos da Babilônia.