10 atrações no Parque Nacional da Tijuca – Pedra Bonita

 

A Pedra da Gávea, com a Cabeça do Imperador em destaque, vista a partir da Pedra Bonita | Foto: Grazi Calazans

 

Por Grazi Calazans

 

A Pedra Bonita tem 693 metros de altitude e é um dos mirantes mais espetaculares da Cidade Maravilhosa. Apesar de um pouco ígreme, a trilha pode ser feita por qualquer pessoa, já que é relativamente fácil. É um passeio indicado até mesmo para quem não tem muita experiência em trilhas, pois não exige muito preparo físico e o caminho é bem marcado, bem diferente da trilha para a Pedra da Gávea, que exige experiência e tem partes onde é preciso até mesmo fazer rapel.

 

Confira as outras atrações no Parque Nacional da Tijuca! 
Entre elas a Estrada das Paineiras, o Lago das Fadas e a Vista Chinesa.

 

A trilha

 

A trilha oficial até o topo tem cerca de 1,3km de distância, começa próxima ao estacionamento da rampa de voo livre e dura no máximo uma hora. Quando se chega ao seu cume, tem-se uma das vistas mais privilegiadas da cidade, avistando-se a Zona Oeste, grande parte da Zona Sul, a Floresta da Tijuca e a Pedra da Gávea. Simplesmente incrível!

 

Somente do alto da Pedra Bonita é que se pode encarar a “Cabeça do Imperador”, o rosto que parece ter sido esculpido na rocha da Pedra da Gávea. Este “rosto” seria a efígie do Rei Fenício, que teria tentado colonizar o Rio de Janeiro na antiguidade, segundo uma lenda do folclore carioca.

 

O platô da Pedra Bonita é muito amplo e, mesmo com o movimento intenso dos finais de semana ensolarados, pode-se aproveitar bem a paisagem lá de cima, ou valer-se do horário de verão para contemplar o pôr do sol. Para quem quiser voar, há uma rampa de voo livre a 517 metros de altitude, com voos de asa-delta e parapente para a Praia do Pepino. Logo abaixo, uma arquibancada fica lotada de curiosos assistindo aos saltos.

 

Visual da Barra da Tijuca a partir da Pedra Bonita | Foto: Grazi Calazans

 

 

Apesar de fazer parte da Floresta da Tijuca, a Pedra Bonita fica no Setor C do Parque e é, juntamente com a Pedra da Gávea, uma área geograficamente isolada da sede. A região foi muito desmatada ao longo do século XIX para fornecer madeira e carvão na expansão da cidade, sendo ocupada por pequenas propriedades rurais que cultivavam alimentos vendidos nas feiras do Rio.

 

No início do caminho para a Pedra Bonita ainda se avista o calçamento original feito com pé de moleque, que formava as trilhas utilizadas pelos moradores da localidade. Somente em 1967 a área foi agregada ao Parque Nacional da Tijuca, reduzindo drasticamente o seu número de moradores, o que possibilitou o avanço de uma floresta secundária. Porém, esta floresta não conseguiu voltar a ocupar todos os espaços originais devido a incêndios, ocupações ocasionais e pequenos desmatamentos. Atualmente ainda existem 15 hectares cobertos de capim, resquícios de várias culturas, árvores exóticas, plantações de flores e culturas de subsistência.

 

Mas a Pedra Bonita é de fato um lugar especial e um passeio altamente recomendado para toda a família, não só pela vista sensacional, mas também por toda a interação com a natureza, sua história e o prazer de levar as crianças para uma aventura como essa!

 

Como chegar

 

O acesso para a Pedra Bonita fica na Estrada das Canoas, em São Conrado. De transporte público, é possível chegar pela linha 448 – Maracaí. No Alto da Boa Vista, pode-se também acessar a Estrada das Canoas pelo mesmo caminho da Estrada das Paineiras, próximo à Praça Afonso Viseu.

 

Para lá, existem duas linhas de ônibus: 301 (Rodoviária x Alvorada) e 302 (Rodoviária x Recreio), ambas com ponto bem em frente ao Parque, nos dois sentidos. Ou seja, você pode pegar tanto vindo da Zona Oeste (Recreio e Barra da Tijuca, onde fica o terminal Alvorada), quanto vindo da Zona Norte (Rodoviária, passando pelos bairros do Maracanã e Tijuca.

 

De carro ou táxi, é possível ir até o estacionamento da rampa de voo livre, ficando a apenas 20 minutos de caminhada do cume.

 

Horário de Funcionamento

 

Diariamente das 8h às 17h (até 18h no horário de verão). Só é permitido iniciar a trilha até às 14h, para que dê tempo de voltar antes do fechamento do parque.

 

Platô da Pedra Bonita | Foto: Grazi Calazans

 

Infra-estrutura

 

O setor da Pedra Bonita/Gávea não tem uma grande infra-estrutura para visitantes, exceto pelo estacionamento e banheiros da rampa de voo livre. É interessante levar lanche leve e água para apreciar a paisagem lá de cima.

 

Respeite o meio ambiente!

 

O Parque Nacional da Tijuca é um lugar incrível, que abastece o Rio de Janeiro com suas águas, além de ser o habitat de diversas espécies. É importante respeitarmos o ambiente com atitudes simples como levar o nosso lixo, não arrancarmos espécies da flora, não fazermos atalhos para evitar o risco de erosões e não utilizarmos produtos químicos como sabonetes e xampus, nos banhos de cachoeira. O uso consciente de espaços públicos e naturais ajuda a manter estes espaços sempre especiais para todos nós!