Natureza e sossego no litoral paulista

Praia das Calhetas | Foto por Natália Leme

Praia das Calhetas | Foto por Natália Leme

 

Por Natália Leme

 

São Sebastião, município do litoral norte paulista situado a cerca de 200km da capital, é ainda pouco explorado, o que no fundo acaba sendo uma vantagem para quem aprecia praias mais vazias e, principalmente, com visual intacto.

 

Há sim as Maresias e Camburis da vida, praias bonitas e muito frequentadas, responsáveis por levar o destino aos ouvidos dos paulistas, mas esses trechos de areia estão longe de garantir sossego aos banhistas. Escondidas em meio à Mata Atlântica, as praias Brava e das Calhetas são os verdadeiros redutos de paz de São Sebastião.

 

Praia Brava | Foto por Natália Leme

Praia Brava é vazia e selvagem | Foto por Natália Leme

 

A brava mais calma do litoral

Quem prefere areia quase deserta e acha que construções à beira mar, mesmo que integradas com a natureza, destoam da paisagem natural, encontra na Praia Brava de São Sebastião um refúgio e tanto. O prazer de aproveitar com poucas companhias o mar bravo e a areia clara, contornada por vegetação, com direito a quedas d’água e riozinho que desemboca no mar, requer certo esforço.

 

Praia Brava vista da trilha | Foto por Natália Leme

Praia Brava vista da trilha | Foto por Natália Leme

 

No km 162 da Avenida Rio-Santos uma estradinha de terra leva ao começo da aventura. Dali em diante são cerca de 40 minutos de caminhada por trilha íngreme, passando por obstáculos, como árvores que caíram com as chuvas fortes que castigaram o município em dezembro de 2014. Nada que não dê para dar um pulinho ou uma desviada e continuar rumo à praia. A primeira etapa de trilha, morro acima, é a mais puxada; depois fica fácil e já é possível ouvir o som das ondas.

 

A recompensa após a trilha | Foto por Natália Leme

A recompensa após a trilha | Foto por Natália Leme

 

A escondidinha Calhetas

Seguindo pela Avenida Rio-Santos rumo ao centro de São Sebastião, lá pelo km 144, existe outro refúgio para os viajantes que prezam por um dia de mar com sossego. Quem não conhece ou não soube da dica, passa batido pelo acesso escondido da Praia das Calhetas, protegida por um condomínio que não permite a entrada de carros, apenas de pedestres.

 

Praia das Calhetas vista de cima da península | Foto por Natália Leme

Praia das Calhetas vista de cima da península | Foto por Natália Leme

 

Após a entrada é preciso seguir por mais alguns metros e estacionar o carro no acostamento. Depois de passar pela portaria são cerca de 10 minutos de caminhada dentro do condomínio, totalmente arborizado. A praia contornada pelas casas do condomínio se divide em duas, separadas por uma península verdejante e repleta de coqueiros. Como também não possui nenhuma barraca, é preciso levar bebidas e alimentos.

 

Prainha ao lado direito da península | Foto por Natália Leme

Prainha ao lado direito da península | Foto por Natália Leme

 

Do lado esquerdo da península, a praia é toda tomada por pedras que formam piscinas naturais. Seguindo para a prainha do lado direito, o mar verdinho e calmo é ótimo para nadar e mergulhar com snorkel. Ao atravessar o coqueiral e chegar perto da península, notará que no morro há escadinhas de pedras que levam ao seu topo. Lá em cima a vista das duas prainhas é sensacional.

 

Pequena cachoeira no caminho para a Praia das Calhetas | Foto por Natália Leme

Pequena cachoeira no caminho para a Praia das Calhetas | Foto por Natália Leme

 

Calhetas ainda reserva mais uma surpresa aos seus visitantes. No meio do caminho pelo condomínio, uma pequena trilha leva a uma queda d´água que desliza por um enorme paredão. Ótima para tirar o sal do corpo e se refrescar para a subida de volta à estrada.