Guia completo para um safári no Kruger Park, África do Sul

Tem vezes que os animais parecem posar para as fotos | Foto: Giscard Stephanou

 

Por Giscard Stephanou

 

Quando pensamos em fazer um Safári na África do Sul, o Kruger National Park (Parque Nacional Kruger) é a primeira imagem que vem à mente. O Kruger é a maior e mais famosa área de fauna protegida da África do Sul, cobrindo cerca de 20.000 km2 (aproximadamente do tamanho do País de Gales). Está localizada no nordeste do país, nas províncias de Mpumalanga e Limpopo e faz fronteira com distritos de Moçambique. Tem uma extensão aproximada de cerca de 350 km de norte a sul e 60 km de leste a oeste.

 

Hoje, os parques nacionais sul-africanos (Kruger e outros 18) são importantes para o turismo e contam com safáris para observar e fotografar a natureza e a vida selvagem.

 

É possível chegar bem perto de alguns animais | Foto: Giscard Stephanou

 

Por outro lado, infelizmente, a caça ilegal continua crescendo na África do Sul, e o principal alvo são os rinocerontes, por causa de seus chifres.

 

Parques nacionais na África do Sul

 

Basicamente, um Parque Nacional dentro da África do Sul é uma área pública que tem regras de parque, com horários de entrada e saída (bem diferentes das reservas privadas) e os veículos só podem circular pelas estradas demarcadas. Ou seja, para ver os animais de perto, somente se o animal estiver na beira ou cruzar a estrada. Existem hospedagens dentro das áreas demarcadas, assim como a possibilidade de comprar safáris para circular no interior dos parques. Sempre há uma taxa para entrada no parque (por pessoa), que varia de acordo com a unidade.

 

Big Five

 

A expressão Big Five game, ou simplesmente Big Five, se refere aos cinco mamíferos selvagens de grande porte mais difíceis de serem caçados pelo homem. A expressão é ainda usada nos safáris de observação, pelos guias locais, quando se referem à fauna selvagem da região da savana. O grupo consiste do leão, do elefante africano, do búfalo-africano, do leopardo e do rinoceronte.

 

O leão é um dos Big Five e talvez o mais esperado entre eles | Foto: Giscard Stephanou

 

Informações do Kruger National Park

 

O Kruger tem horários de entrada e saída que variam conforme o mês e que podem ser verificados no site South African National Parks. Os horários de abertura e fechamento dos portões do parque devem ser respeitados sempre, para quem irá dormir dentro do parque ou não.

 

Tarifas do Kruger Park

Lista de acampamentos do Kruger Park.

 

É proibido dirigir pelo parque depois que os portões fecham, e só pode ficar lá dentro quem tem reserva em um dos acampamentos. Além disso, possui vários portões (Gates), para facilitar o acesso dos turistas aos diversos acampamentos.

 

Vista aérea do Parque Kruger | Foto: Giscard Stephanou

 

Para entrar no Kruger, atualmente, a taxa é de 304 Rands (moeda sul africana) por adulto (por volta de R$ 76,00) e 152 Rands para as crianças (por volta de R$ 38,00). Hospedando-se dentro ou fora do parque, essa taxa é paga por dia. Para fazer a conversão do Rand para o Real, basta dividir o valor por quatro (4) para ter um valor bem aproximado.

 

Visitando o Kruger

Para chegar ao Kruger:

 

1) Alugar um carro (em Johanesburgo, em Nelspruit ou, até mesmo, dentro do Parque) para curtir o Kruger por conta, hospedando-se dentro ou fora do parque. Como a maioria dos voos que vão para a África do Sul, seja da South African Airways ou da Latam, pousam em Johanesburgo, o mais comum é alugar o carro no próprio aeroporto e dirigir (cerca de 400/450 km – por volta de 5 a 6 horas de viagem, dependendo da localização do seu acampamento/lodge) até o Kruger. É longe e cansativo, principalmente se você estiver chegando do Brasil. A entrada e saída do parque ficam restritas aos horários do Kruger, as ruas e estradas são em mão inglesa, existem restrições de velocidades (passíveis de multas) e pode-se circular somente em estradas demarcadas. Algumas estradas internas não têm calçamento e é importante observar o limite de velocidade para cada área: nas vias asfaltadas, você não deve ultrapassar os 50 km/h; nas estradas de terra, o limite estabelecido é de 40 km/h; nas áreas de acampamento, o máximo permitido é 20 km/h*. Além disso, é necessário ter a carteira de habilitação internacional (PID – Permissão Internacional para Dirigir) para alugar e dirigir um carro por lá.

 

* Por sinal, uma questão que tem preocupado as autoridades locais é a crescente morte de animais por causa das altas velocidades ou imprudência dos motoristas, sejam turistas ou rangers (como são chamados em inglês os “guardas-florestais” de parques nacionais), que circulam praticamente sem restrições pelo Kruger. Eu mesmo, vi uma ranger que, para chegar mais perto de um elefante e desviar de outro carro com turistas, quase capotou o jipe e acertou o animal, além de dirigir fora da estrada demarcada. O número de animais atropelados e o excesso de velocidade por parte dos motoristas também têm aumentado na África do Sul por causa de alguns Apps que compartilham informações entre os turistas que encontram leões, leopardos, elefantes e outros animais, permitindo que outros usuários acabem dirigindo rápido para encontrá-los.

 

2) Viajar de avião de Johanesburgo até o aeroporto de Nelspruit (distante mais de 100 km dos portões do Kruger) ou para o aeroporto de Skukuza (dentro do Kruger National Park). Ambos os voos operados pela Airlink. É a maneira mais fácil, rápida e cômoda de viajar até o Kruger.

 

Para visitar o Kruger:

 

a) Contratar safáris de empresas que ficam localizadas próximas ao parque. Neste caso, a hospedagem é fora do parque (normalmente, em cidades próximas dos gates) e o safári dura um dia.

 

b) Hospedar-se em lodges dentro dos parques ou em reservas privadas (como a famosa e cara Sabi-sabi). Os safáris e a alimentação estão incluídos no preço da diária, que facilmente supera os R$ 1.000,00 ou até R$ 2000 por pessoa /dia.

 

c) Hospedar-se dentro dos acampamentos do Parque Nacional do Kruger. É a hospedagem mais barata, você pode contratar os safáris ali mesmo e levar sua própria comida.

Chegar + visitar:

 

Todas as opções podem ser combinadas. Por exemplo: opção 1 + a, 1 + b, 1 + c, 2 + a, 2 + b, 2 + c, 1 + 2 + (a ou b ou c). O foco deste post é uma combinação que apresenta bom custo-benefício e é bem cômoda: unir a opção 2 com a opção c, ou seja, voar até Skukuza e se hospedar em um acampamento do parque.

 

Como fazer o safári com a opção sugerida – passo a passo

 

1º) Voar do Brasil até Johanesburgo, na África do Sul.

 

2º) Voar de Johanesburgo até Skukuza com a Airlink. Voo direto, com duração de 40 minutos, aproximadamente. O aeroporto fica dentro do parque. Para sair do aeroporto, as taxas de conservação do Kruger já devem estar pagas e é necessário preencher um formulário com as informações do transfer. Os voos podem ser comprados diretamente no site da Airlink. E, evidentemente, recomendo comprar com antecedência para ter tarifas menores.

 

O mini, porém charmoso, aeroporto de Skukuza, dentro do parque Kruger | Foto: Giscard Stephanou

 

3º) Pagar um transfer (por volta de 20 dólares/pessoa) para se deslocar até um dos acampamentos do Kruger, o qual pode ser acertado, antecipadamente, com o próprio acampamento em que estarás hospedado, ou diretamente no Aeroporto de Skukuza, com as empresas que alugam carros.

 

4º) Hospedar-se em um dos acampamentos do Kruger, por exemplo, no Skukuza Rest Camp, um dos principais e que fica a menos de 10 minutos do Aeroporto de Skukuza.

 

5º) Contratar os safáris (Game Drives), com antecedência, quando fizer a reserva do(s) acampamento(s) escolhido(s). Um bom ranger e um tracker (guia local que conhece a região desde o berço e ajuda o ranger a encontrar os animais) saberão te colocar em posição privilegiada para observá-los, cuidando da sua segurança o tempo todo – e vários deles têm autorização para sair das trilhas, o que garante games muito mais excitantes.

 

Skukuza Rest Camp

 

Skukuza Camp (Acampamento de Skukuza) é a capital do Parque Nacional Kruger. É também o maior acampamento e inclui muitas facilidades como uma excelente loja, supermercado, ATM, correio (para enviar um postal, por exemplo), Internet Café, restaurante, biblioteca, museu, posto de gasolina, atendimento médico e recepção.

 

Bungalows do Skukuza Rest Camp | Foto: Giscard Stephanou

 

É o mais popular acampamento de descanso do Kruger, situado no coração do território do Big Five, ao lado do Rio Sabie, e é acessado facilmente por via rodoviária e aérea. Apresenta uma variedade de opções de alojamento, tais como (em ordem crescente de preço): camping, tendas de safári mobiliadas, bungalows, bungalows ao lado do rio, bungalow de luxo, casas de campo e casas de hóspedes.

 

Os safáris, de observação e fotográfico, de pássaros e do Big Five, são facilmente obtidos fazendo as caminhadas (walks) guiadas ou os Game Drives, tours de carro oferecidos pelo acampamento.

 

Interior do bungalow | Foto: Giscard Stephanou

 

Uma opção bastante cômoda e econômica é reservar um Bungalow (Bangalô). Ele tem um bom espaço, custa a partir de 300 reais/dia, com quarto de até 3 camas de solteiro (facilmente unidas), ou seja, 100 reais por pessoa. Conta com ar condicionado, cozinha comunitária ou no próprio bangalô, geladeira, pia, varanda (aberta ou fechada), utensílios, banheiro, chuveiro com água quente e prato quente. Importante lembrar que é proibido fumar!

 

São quartos em construções de alvenaria, que cumprem a função a que se destinam, deixando todas as pessoas protegidas e com várias comodidades. Também é bom destacar que o acampamento é completamente cercado, mesmo estando dentro do Kruger, por isso, não há perigo de improváveis ataques de animais.

 

Melhor época do ano

 

A época ideal para ver os animais é entre outono e o inverno (mesmos meses no Brasil e África do Sul) pois é quando acontece a seca da savana e eles se movimentam mais para se banhar ou tomar água. Além disso, o clima não é tão quente, garantindo maior conforto.

 

Outono e inverno são as melhores estações para visitar | Foto: Giscard Stephanou

 

E, como o Skukuza Rest Camp está localizado ao lado do Rio Sabie, acaba sendo uma região propícia para avistar animais. É aquela história: onde tem água, tem vida, tem animais. Ou seja, olhando em volta de lagoas e rios (por exemplo, lembro-me de ter visto elefantes se banhando ao lado dos bungalows do Skukuza) e fazendo os game drives/dirigindo nas estradas próximas aos rios que cortam o parque, é quase certa a apreciação dos Big Five.

 

Na primavera e verão, a vegetação fica mais densa, e pode ficar mais difícil de ver os animais. Fora o calor!

 

Game Drives

 

Game Drive é um Safári fotográfico ou para observação dos animais em jipe ou caminhão aberto nas laterais, com um guia/motorista. A expressão ainda usa a palavra game em seu contexto antigo de caça, ou seja, qualquer animal pode ser perseguido e alcançado. Mas, evidente, as saídas de hoje buscam animais para ser fotografados, e não dizimados.

 

Veículo típico dos Game Drives | Foto: Giscard Stephanou

 

Hospedando-se dentro do parque é possível fazer os Game Drives oferecidos pelos acampamentos.

 

O Skukuza Rest Camp oferece diferentes tipos de safári para quem estiver hospedado. Cada “game” dura de 3 às 4h e o preço médio por pessoa é de R$ 70 (280 rands). É necessário reservar e pagar na recepção do acampamento, ou pela internet quando for feita a reserva da acomodação. E, é claro, se o Game for de manhã (ex: Sunrise Drive), o pagamento deve ser feito até o dia anterior.

 

Elefantes estão entre os animais mais fáceis de encontrar pelo parque | Foto: Giscard Stephanou

 

A maioria dos acampamentos e lodges no interior do Kruger oferecem estes Game Drives no início da manhã e no final da tarde. Alguns campings também oferecem games pela manhã, porém não tão cedo (Morning Walk) e à noite (Night Walk ou Night Drive). Neste caso você vai com um guia, e com outros turistas no mesmo carro para procurar os animais.

 

A vantagem de contratar um guia ou ranger é que, como eles têm a experiência do dia a dia do safári, as chances de encontrar os animais são maiores. Lembrando que encontrar os animais num safári não é algo garantido. Portanto quanto mais você puder aumentar as suas chances, melhor.

 

Além disso, eles fazem briefings antes dos safáris, explicando por que não podemos levantar, falar alto ou colocar os braços para fora do veículo, por exemplo, e falam curiosidades dos animais selvagens.

 

Às vezes é preciso ter paciência durante os Game Drives | Foto: Giscard Stephanou

 

Os principais Game Drives oferecidos pelo Skukuza Rest Camp (e que recomendo!) são os Sunrise Drive e Sunset Drive, justamente porque acontecem nos horários em que os animais mais se movimentam e há maior possibilidade de avistá-los.

 

  • Sunrise Drive, para ver o amanhecer, normalmente começando às 5h (no outono/inverno) e finalizando por volta de 8h da manhã.

 

  • Sunset Drive, para ver o anoitecer, normalmente começando às 16h30min (no outono/inverno) e finalizando por volta de 19h30min.

 

Recomendo fazer de dois a quatro Game Drives, seja o Sunrise Drive ou Sunset Drive, no mesmo acampamento ou em acampamentos de regiões diferentes, para ter mais possibilidade de avistar diferentes espécies e o principal, o Big Five. Até porque fazer somente um Game Drive não é garantia de ver os cinco principais animais.

 

Como reservar o acampamento e os game drives

 

Para reservar sua hospedagem e os game drives nos próprios Acampamentos do Kruger Park, é preciso acessar o site da South African National Parks.

 

Escolha na lista o “Camp” (Ex: Skukuza) que você pretende ficar, verifique a disponibilidade de acomodações nas datas que deseja, verifique as tarifas e selecione os Game Drives desejados. Além de optar em pagar ou não antecipadamente as taxas de conservação do Kruger National Park.

 

Feito isso, basta efetuar a reserva. O pagamento é feito on-line e você recebe vários emails, com a confirmação da reserva e com as regras e horários do parque. São informações importantes que ajudarão a planejar a sua estadia e a curtir todas as atividades oferecidas pelo acampamento.

 

Experiência para todos os bolsos

 

Por fim, acho que fica bem claro que, no Kruger, temos opções de Safári para todos os bolsos, sejam eles mochileiros, viajantes com orçamento médio ou aqueles que querem todo o tipo de conforto.

 

Há muitas formas de conhecer a fauna e a flora do parque, encontre a ideal para você | Foto: Giscard Stephanou

 

Escolha a sua opção e curta essa experiência, pois ela é incrível e única. Ver leão, leopardo, rinoceronte, búfalo, elefante, kudu, girafa, hiena, cachorro selvagem, hipopótamo, crocodilo, urubu, babuíno, antílope, impala, entre outros, no seu habitat natural, e com total liberdade, é sensacional. É a beleza natural e a vida selvagem do Kruger em toda a sua plenitude.

 

Conservação e Ecoturismo

 

Com o Safári crescendo a um ritmo frenético associada à tendência mundial de busca pelo turismo de natureza, certamente temos muitos motivos para estar entusiasmados com a conservação através do ecoturismo. No entanto, permitir que o número de turistas aumente sem impor os limites necessários não está funcionando para atingir o objetivo da conservação. Por isso, é necessário um gerenciamento apropriado das pessoas que se deslocam pelo Kruger Park, ou seja, elaborar estratégias que visem a proteção do parque e o desenvolvimento sustentável da atividade do turismo.