Cinco motivos para conhecer Manaus

Por Carolina Pera

 

Capital do Estado do Amazonas, Manaus guarda muita cultura e beleza em meio à natureza. Aqui é possível passear por elegantes praças, visitar diferentes museus, apreciar sabores distintos e conhecer um pouco mais do coração financeiro e econômico da Região Norte do Brasil. Para isso separamos cinco motivos que tornam Manaus uma cidade singular e que merece ser visitada:

 

1) Arquitetura de encher os olhos

O magnífico Teatro Amazonas | Por Carolina Pera

O magnífico Teatro Amazonas | Por Carolina Pera

 

Por aqui é possível se maravilhar por muitas construções arquitetônicas, dentre elas a Biblioteca Pública do Amazonas, o Palácio Rio Negro e o Palacete Provincial, mas o grande destaque fica por conta do cartão-postal mais conhecido da cidade, o Teatro Amazonas.

 

Tombada como Patrimônio Histórico, a edificação foi construída devido à situação econômica privilegiada da Província durante o Ciclo da Borracha. Sua cor rosada pode ser avistada de longe e sua cúpula de cores distintas se evidencia. Um passeio pelo seu interior pode ser feito com o acompanhamento de guia que fornece detalhes sobre a história e a arquitetura do prédio.

 

Saiba mais: Cinco programas para fazer em Belém, no Pará

 

2) Gastronomia manauara

Mercado Adolpho Lisboa | Por Carolina Pera

Mercado Adolpho Lisboa | Por Carolina Pera

 

Ponto forte de Manaus, as delícias amazônicas não podem deixar de serem provadas por quem passa pela capital. Frutas como açaí e cupuaçu estão por todos os cantos, já entre os peixes podemos ressaltar o tambaqui, o tucunaré, e o pirarucu.

 

Mas se quiser mergulhar fundo nos costumes do povo manauara experimente o x-cabloquinho, um lanche recheado de tucumã (fruto de uma palmeira nativa) ou, então, se aventure pelo gosto do tacacá, um prato típico que leva tucupi, goma de tapioca cozida, jambu e camarão.

 

E para fechar bem o tour gastronômico, não deixe de dar uma volta no mercado Adolpho Lisboa, no qual, além de beleza arquitetônica, você encontra farinhas de diferentes tipos, balas de cupuaçu e castanha, além de outras guloseimas para levar para casa.

 

3) Praia fluvial às margens do rio Negro

Praia de Ponta Negra | Por Carolina Pera

Ponta Negra, praia fluvial às margens do rio Negro | Por Carolina Pera

 

Para ver o pôr do sol vale dar uma esticadinha até Ponta Negra, uma praia fluvial às margens do rio Negro, de onde você poderá ver o cair do dia com tranquilidade, seja banhando-se nas águas ou passeando pelo calçadão que possui alguns mirantes, seja nas areias finas que ficam com extensas áreas descobertas quando a maré está baixa.

 

As águas doces e a ausência de ondas a transformam numa praia tranquila e distinta. Por ali o movimento é garantido até de noite, o que torna o local ideal para provar um bom prato amazonense no horário do jantar em um dos restaurantes da redondeza.

 

4) Design diferenciado na Arena Amazônia

Design diferenciado da Arena Amazônia | Por Carolina Pera

Design diferenciado da Arena Amazônia | Por Carolina Pera

 

E para quem gosta de futebol há a Arena Amazônia. Construído para a Copa do Mundo de 2014, o estádio possui arquitetura arrojada e sustentável. Seu projeto atendeu exigências ambientais desde a etapa de demolição ao reaproveitar 95% dos materiais do antigo Estádio Vivaldo Lima.

 

Vale visitar se tiver algum jogo acontecendo ou ficar atento durante o percurso aeroporto/hotel, pois com certeza o design inovador, que se assemelha a um cesto de palha indígena composto por uma única estrutura metálica, não passará sem ser percebido.

 

5) Encontro das águas entre os rios Negro e Solimões

Encontro das águas, entre o Rio negro e o Rio | Por Carolina Pera

Encontro das águas, entre o rio Negro e o rio Solimões | Por Carolina Pera

 

E quando se fala no Amazonas logo vem à mente natureza, sendo assim, não poderia faltar o tão conhecido encontro das águas – fenômeno que acontece na confluência entre os rios Negro e Solimões, o primeiro, de água preta e o segundo, barrenta.

 

Por possuírem diferentes temperaturas e densidades, eles correm lado a lado sem se misturar por uma extensão de mais de 6 km. O passeio de barco ou lancha feito por empresas de turismo até a divisão das águas pode incluir visita ao Parque Ecológico Lago do Janauari, onde é possível ver lindas vitórias-régias.