As desculpas clássicas para não viajar

vai-pra-onde

Distâncias a partir de Punta Arenas, Chile | Foto por Zizo Asnis

 

Conteúdo exclusivo do Guia Criativo para O Viajante Independente na Europa.

 

Uma viagem abre os horizontes: somamos em bagagem cultural, conhecemos pessoas dos mais diversos países, aprendemos ou aperfeiçoamos idiomas. Ainda assim, o que não falta, da parte de alguns viajantes, são motivos para justificar o medo e a hesitação em encarar esse valioso investimento na vida. Confira quais são as cinco desculpas mais frequentes.

 

01. Trabalho, estudo, tenho namorado/a, adoraria viajar, mas não tenho uma justificativa para ficar tanto tempo viajando.

 

A vivência, a conscientização do mundo e a experiência de vida ao passar um tempo lá fora já são justificativas suficientes. De quebra, pode-se estudar, aprender ou reforçar uma língua estrangeira, estagiar ou trabalhar – e, é claro, nas horas vagas, viajar. Acredite: você volta melhor, mais maduro, mais seguro de si e certamente com um diferencial no currículo.

 

02. Putz… Não tenho tempo.

 

Tempo se arranja, você sabe disso. Uma boa viagem pode ser feita num par de semanas, em um mês de férias ou num bom ano sabático. Tudo é uma questão de prioridade e do quanto você está disposto a investir.

 

03. Queria tanto, mas… não tenho ninguém para ir comigo.

 

Muita gente aproveita mais uma viagem sozinho do que acompanhado. Sem alguém junto, somos gestores absolutos do nosso tempo, soberanos de nossas decisões e, talvez o mais importante, ficamos mais receptivos para conhecer outros viajantes e para interagir com o povo local. Ainda assim, se você realmente deseja um parceiro, é muito fácil encontrar um durante a viagem ou mesmo antes: alguém que você ainda não conhece, mas que pode ser uma ótima companhia.

 

04. Sou muito velho para uma viagem.

 

Que grande tolice! Existe idade para viajar?? Talvez você esteja sim num estágio da vida em que não gostaria de dormir em albergues ou de ficar muito tempo fora de sua casa, desejos esses que independem de você estar com 20 ou 80 anos. Tudo é um questão de adaptar a viagem ao seu modo. O importante, o grande pré-requisito para viajar na boa, é ter saúde – o que é fundamental, da mesma forma, tanto para o cara de 20 quanto para a vovó de 80.

 

05. Apenas um problema: não tenho grana.

 

Você notará que não é necessário muito dinheiro para viajar. Nesta situação de poucos recursos, é importante saber quais são os países mais baratos, onde se hospedar de forma econômica, como se locomover sem gastar muito, qual a melhor época do ano para viajar. Ainda assim, talvez você não tenha condições para viajar hoje, mas em dois ou três anos – que passa muito rápido – a história pode ser outra. Para isso, requer-se apenas um pouco de economia e um planejamento.

 

Vamos tentar?