66 histórias de uma volta ao mundo: Vietnã

Halong Bay, Patrimônio da Natureza pela Unesco

Halong Bay, Patrimônio da Natureza pela Unesco

 

Por Nara Alves

 

Voamos de Kuala Lumpur até Hanói , capital do Vietnã. A ideia no Vietnã foi cruzar o país de norte a sul utilizando ônibus noturnos. A diferença entre os ônibus convencionais e os ônibus noturnos é que, além do horário de partida, no lugar de poltronas, há camas. Vai todo mundo meio amontoado, mas dá para dormir e economizar na hospedagem. Nós fomos de Hanói a Halong Bay, Dong Hoi, Hoi An e terminamos em Saigon.

 

Dica de viagem

As roupas sob medida que mandamos fazer em Hoi An

As roupas sob medida que mandamos fazer em Hoi An

 

Na cidadezinha de Hoi An é possível fazer roupas de qualidade, com bons tecidos, sob medida, a um custo baixíssimo. Há dezenas de alfaiates pela cidade que fazem ternos, camisas, vestidos ou qualquer peça do vestuário de um dia para o outro. Além disso, a comida é espetacular e a cidade é bem charmosinha, cheia de canais e balões de papel colorido espalhados pelas ruas do centro histórico.

 

Raio X

Mercado noturno em Hoi An

Mercado noturno em Hoi An

 

Tempo no país: 11 dias
Locais visitados: Hanói, Halong Bay, Dong Hoi, Hoi An e Saigon (Ho Chi Minh).
Visto necessário? Sim
Gasto com visto: 65 dólares
Transporte aéreo: 132 dólares
Transporte terrestre longa distância e local: 51,80 dólares
Hospedagem: 71,25 dólares
Alimentação: 48 dólares
Lazer: 122 dólares
Extras (principalmente itens de higiene pessoal): 2 dólares
Total por pessoa no Vietnã com passagem aérea: 492,05 dólares (44,73 dólares/dia)
Total por pessoa no Vietnã sem passagem aérea: 360,05 dólares (32,73 dólares/dia)

 

Trecho de “66 histórias de uma volta ao mundo”

Eu não sabia, mas a Cochinchina não é apenas onde Judas perdeu as botas, ou o lugar pra onde se manda aquela pessoa pentelha. A Cochinchina existe, e é aqui no sul do Vietnã, onde estamos agora. Fico cada dia menos espantada com o tamanho da minha ignorância.

 

Nós começamos a viagem pelo norte, na capital Hanói, mais perto da fronteira com a China, na região da Indochina, e seguimos em direção ao sul, próximo ao Golfo da Tailândia, até chegarmos a Ho Chi Minh, antiga Saigon, na região da Cochinchina. Como eu acho o nome Saigon muito mais charmoso que Ho Chi Minh, vou continuar falando Saigon. Hoje, a cidade é uma grande metrópole, como muitas outras no mundo.

 

Tenho pra mim que Cochinchina ganhou esse significado ingrato porque foi aqui que os Estados Unidos, na década de 70, perderam a guerra para os comunistas vietnamitas, chamados pejorativamente de vietcongues. E, como nós importamos a cultura norte-americana com fidelidade canina, essa região (que é bem linda) passou a significar PQP para nós, brasileiros.

 

País anterior: Malásia

Próximo país: Camboja

 


capapng_9788587896216_____66-historias-de-uma-volta-ao-mundo_editora-o-viajante

Quem largaria um belo emprego na TV para sair pelo mundo experimentando as mais diversas culturas? Nara Alves. Acompanhada de seu namorado, Bernardo, entre 2014 e 2015 a moça se aventurou por 22 países da América do Norte, da Ásia, da Oceania, do Oriente Médio e da Europa.

 

Saiba mais: 66 histórias de uma volta ao mundo