5 dicas básicas para começar a planejar seu intercâmbio

Foto: Rick Collins, via Creative Commons

 

Por Bruna Cazzolato Ribeiro

 

O ato de estudar em outro país é algo cativante e enriquecedor, porém o planejamento de um intercâmbio requer dedicação. São muitas decisões antes do início do curso e é sua responsabilidade fazer o seu sonho sair do papel. Aqui estão resumidos os primeiros passos para começar o planejamento para estudar fora, então vamos lá!

 

1) O lugar

 

Você tem algum país que sempre quis visitar? Adora o frio ou quer mesmo praia? Estes são só alguns exemplos de perguntas que você precisa responder, afinal de contas, o país escolhido será sua moradia pelo tempo de intercâmbio.

 

The University of Sydney | Foto: Jason Tong, via Creative Commons

 

Pense que você viverá no local e precisará fazer atividades cotidianas como acordar cedo, ir ao mercado utilizar transporte público. Isso pode ser um pouco mais chato se você não gostar do destino. Faça uma lista com os países que você tem mais interesse em conhecer e os motivos que te levaram a esta escolha. Por exemplo, França porque você adora a cultura do país, é antenado em história e quer aprender francês.

 

Pense com carinho na cidade também. Ela é muito pequena ou grande demais? É super cultural mas você gosta mesmo é de aventura? Lembre-se da regra acima, você irá morar no lugar. A ideia de sair do seu cotidiano quando se faz um intercâmbio é incrível e necessário, mas viver em um local que você nunca nem viajaria pode ser um fracasso.

 

2) O que estudar

 

Os cursos de idiomas ainda são os mais populares entre pessoas que querem estudar fora. Isso não é surpresa para um mundo onde falar inglês é quase essencial para qualquer profissional. Mas existem diversas outras opções: culinária, um semestre da faculdade, profissionalizante, pós-graduação, fotografia, etc. As opções são inúmeras e estão só esperando o seu planejamento.

 

Pense bem no seu momento profissional e pessoal. Você precisa de algum conhecimento específico? Quer aprender algo novo? Priorize o que é mais importante para você e aproveite as oportunidades. Hoje, a internet oferece muitas informações e você deve utiliza-las a seu favor. Sites de agência de viagens especializadas e o Estudar Fora apresentam oportunidades que você nem imagina. Visitar feiras de estudos e conversar com quem já foi também ajudam muito na sua decisão.

 

3) Quanto custa

 

Todo o orçamento começa com o valor do curso que você pretende fazer. Adicione ainda hospedagem, alimentação, transporte e seguro saúde. O seguro é um tópico que muitas pessoas ainda têm dúvidas se realmente é ou não é necessário, mas é verdade é que é imprescindível. O seguro é obrigatório para matrícula em todos os países. Em alguns países é necessário um seguro específico com cobertura para estudante, como no caso da Austrália por exemplo.

 

Não adianta, dinheiro é um quesito que pesa no bolso, mas hoje em dia pode não ser um empecilho para realizar um sonho. Basta arregaçar as mangas e pesquisar bem. Primeiro, calcule o custo de vida na cidade. Os sites Numbeo e Expatistan ajudam a comparar os preços de várias cidades pelo mundo. As escolas também oferecem um bom panorama de custo na região em que estão localizadas.

 

Foto: Francisco Osorio, via Creative Commons

 

O segundo ponto é verificar bem o seu estilo de vida, assim você consegue definir quais gastos terá no destino. Você gosta de baladas? Prefere museus? Adora uma promoção? Pese tudo isso na balança antes de ir. O site Quanto custa viajar ajuda bastante nestes cálculos.

 

Adicione ainda taxas consulares e documentos (como tradução juramentada, por exemplo). Verifique cotação de moeda do destino constantemente. O terceiro ponto é tão importante que vale um tópico separado: guardar dinheiro.

 

4) Feche a mão

 

Muitos planos acabam aqui porque as pessoas olham um número final e desistem. Calma lá, isso não significa que você não poderá fazer mais nada. Guardar dinheiro é um hábito e pode ser mais fácil do que você imagina. Verifique os seus excessos, há sempre uma gordurinha que pode ser cortada: aquele cartão de crédito extra que você nunca usa, mas paga a anuidade, a academia que você parou de ir há meses e ainda paga mensalidade. Será que você precisa mesmo ir à manicure semanalmente ou ir no barzinho toda sexta-feira?

 

O segundo ponto mais importante neste quesito é economizar. Ao invés de comprar um café todo dia, você pode carregar uma garrafinha térmica da bebida, feita em casa. Abra o seu guarda-roupa e veja a infinidade de roupas que você pode descobrir, caminhe mais para economizar no transporte. Essas são só algumas ideais. Faça uma lista com tudo que deseja comprar, espere um mês e você verá que não precisa da metade. Deixe o resto da listinha para os amigos verificarem um bom presente para você no aniversário. Todo mundo sabe onde o calo aperta, então aqui é com você.

 

5) Planeje, planeje, planeje

 

Apesar de cliché, é essencial. Anote tudo. Comece com ideias de lugares e cursos. Pense no seu orçamento atual e entenda quanto você precisará para alcançar o seu objetivo. Verifique quanto tempo pretende passar no destino. Veja os valores que você vai gastar com burocracia, como visto, taxas e documentação.

 

Comece a pesquisar os passeios que você fará, os valores, os dias que as atrações são gratuitas, os parques, as cidades e os países nos arredores que pretende conhecer.

 

Foto: BMPanoramio, via Creative Commons

 

Faça mais do que um plano, afinal o mundo é muito grande para você pensar em um local só. Isso ajudará a você não se sentir frustrado caso algo não dê certo. Ofereça oportunidades para você mesmo.

 

Comece a tirar sua ideia do papel e planejar seus estudos. Investir em conhecimento só gera benefícios próprio. Com certeza você será uma pessoa melhor depois de conhecer um novo mundo. Bons planos!