4 passeios na região da Cidade do México: história, magia, contemplação e vida!

As famosas e coloridas trajineras nos canais de Xochimilco | Foto: Roberta Cavallaro

 

Por Roberta Cavallaro

 

De influências olmecas, astecas, maias, teotihuacanas e espanholas eis que surge o México, um país singular e impressionante. Com 31 estados que esbanjam diversidade, história, magia, lenda e vida, o que não falta no México é a sensação de estar vivo! A cada lugar visitado, nasce-se para o novo, seja pela contemplação, pelas cores, pela música ou pela culinária.

 

Para mesurar a grande diversidade que há no país, apenas na região da Cidade do México já é possível vivenciar diferentes sensações que prometem deixar o viajante fascinado pelos “shows” mexicanos.

 

Show de História – Sítio Arqueológico de Teotihuacán

 

Teotihuacán, que significa lugar onde os homens reverenciam os deuses, foi o nome dado à cidade pré-hispânica mais antiga da Mesoamérica. O Sítio Arqueológico de Teotihuacán é uma verdadeira aula de história e fica a 50 Km a noroeste da Cidade do México. Até hoje não se sabe ao certo qual civilização fundou este local, a única certeza que se tem é que os fundadores foram os predecessores da civilização asteca.

 

O Sítio Arqueológico de Teotihuacán é uma das atrações mais visitadas do México | Foto: Roberta Cavallaro

 

Que lugar incrível e que passeio relaxante, apesar de exigir esforço físico para subir as pirâmides do Sol e da Lua, de onde é possível admirar todo o sítio arqueológico. A cada passo dado, é possível voltar no tempo e sentir a história destas civilizações enigmáticas pairando pelas construções, pinturas, paisagens e precisão nos detalhes. Isso faz do local uma das atrações arqueológicas mais visitadas no México e parada obrigatória para um viajante no país.

 

Por apenas MXN 70, o equivalente a R$12,00, é possível apreciar as pirâmides, verificar as pinturas e adentrar em espaços originais que servem de pesquisas para descobrir mais informações da civilização fundadora deste paraíso.

 

O sítio arqueológico possui cinco portões diferentes que desembocam na Pirâmide do Sol, mas fica a dica: entre pelo portão 5, o mais próximo da grandiosa pirâmide. Uma curiosidade: a base da Pirâmide do Sol se iguala ao tamanho das pirâmides encontradas no Egito. Não deixe de subir todos os degraus para ter a vista das alturas. Após curtir a Pirâmide do Sol, é momento de caminhar pela Calzada de los Muertos em direção à Pirâmide da Lua. É mandatório subi-la também!

 

A Pirâmide do Sol | Foto: Roberta Cavallaro

 

Vale mencionar que há muitos guias turísticos na entrada do sítio, caso queira entender um pouco mais da história do local. Além de memórias inesquecíveis que o viajante levará na bagagem, também é possível adquirir artesanatos no local para eternizar esta visita.

 

Show de Magia – Restaurante La Gruta Teotihuacán

 

Após fazer o passeio pelo sítio arqueológico de Teotihuacán, que tal relaxar e ter uma experiência gastronômica mágica? É isso mesmo! Sentir a magia de um restaurante alocado dentro de uma gruta repleta de encanto e misticismo. O restaurante La Gruta, fundado em 1906, fica próximo da Pirâmide do Sol (Portão 5) e é simplesmente relaxante, interessante, exótico e incrível.

 

Exterior do restaurante La Gruta Teotihuacán | Foto: Roberta Cavallaro

 

Sem dizer dos pratos tradicionais mexicanos, como a arrachera (um corte de carne de boi), pollo com nopales (frango com o cacto nopales), barbacoa (carne de ovelha desfiada), escamoles (larvas de formiga, um caviar mexicano) e chinicuiles (larva de borboleta). Todos os pratos são acompanhados de tacos e salsas picantes.

 

 

Interior do restaurante | Foto: Roberta Cavallaro

 

Em todas as mesas, já deixam uma vela com um bilhete contando sobre a lenda da Gruta e convidando a acendê-la, seguindo a tradição.

 

A mensagem:

Desde os 100 A.C, os ancestrais contam que gruta foi o início da vida, o útero da humanidade.

O Oztoti ou A Gruta, o antigo ritual da vida nova, o local onde os tiatones desciam a escadinha de serpente para conversar com Xolotil, Deus do fogo, o qual tinha o poder de viver em dois mundos. Ele também era responsável para ajudar os mortos em sua viagem à Mictlan e era também o iniciador do ritual na nova vida.

No Oztoti ou na Gruta se via nascer o fogo que simbolizava a mudança de vida, o nascer de um novo homem. Ao sair da gruta, o tlatoani voltou a nascer das entranhas da terra, rogando para que Ehecati, Deus do ar, soprasse para acender e avivar seu fogo, sua nova vida.

 

Na Gruta, o visitante desce de novo às entranhas da terra, enchendo-se de energia para sentir a vida fluir de novo e aí acender um fogo como símbolo de renovação. Assim, cada um nasce de novo: um novo homem, uma nova mulher.

 

Os clientes que desejarem podem acender essa vela e levá-la até a escada da serpente. É uma experiência única e diferente, lugar digno de renovação de energia! Uma comida típica mexicana para duas pessoas sai em torno de MXN 700, aproximadamente R$ 120,00.

 

As velas de oferenda na gruta | Foto: Roberta Cavallaro

 

Dica, não deixe de provar a sobremesa “pastel de chocolate de harina de amaranto com caldo de jamaica”, a qual contém somente ingredientes da região, especialmente a Jamaica, uma flor muito utilizada na culinária mexicana. Lugar simplesmente inesquecível!

 

Show de Contemplação – Arcos Del Sítio Tepotzotlán

 

Tepotzotlán é uma cidade que fica 44Km ao norte da capital mexicana e apresenta diversos lugares para visitar como os Arcos Del Sitio, o Parque Estatal Sierra de Tepotzotlán, a Igreja San Francisco Javier, o Mercado Municipal e as barracas de artesanato.

 

Os imponentes Arcos Del Sítio Tepotzotlán | Foto: Roberta Cavallaro

 

Entre as preciosas atrações, vale muito a pena conferir os Arcos Del Sítio, devido à grandeza e beleza. Trata-se de um passeio incrível a um custo de MXN 35 por pessoa, o equivalente a R$ 6,00, o que te dá o direito de caminhar pela rota dos arcos, ir ao mirador, fazer piquenique no local. É possível também pagar por atividades extras, como uso da piscina, cavalgada e tirolesa.

 

Muita natureza cerca os arcos | Foto: Roberta Cavallaro

 

Um local repleto de natureza, grandeza e muita paz, convite perfeito para a contemplação!

 

Um pouco da história deste lugar sensacional:

O aqueduto de Xalpa, conhecido também como Arcos Del Sítio é uma obra arquitetônica construída pelos jesuítas no início do século XVIII para levar água do Rio de Oro até a Fazenda de Xalpa.

No início, a obra foi dirigida pelos padres Pedro Berinstain, Pedro Sobrino e Santiago Castano, embora tenha ficado inconclusa devido à expulsão dos jesuítas em 1.767. Finalmente foi terminada em 1854, por D. Manuel Romero de Terreros, quem herdou a fazenda.

A beleza deste aqueduto está em sua estrutura, com um total de 43 arcos repartidos em quatro níveis, alcançando uma altura de 61 metros e uma longitude aproximada de 438 metros - considerado, em sua época, o mais alto do mundo e uma referência arquitetônica hidráulica dos séculos XVIII e XIX.

 

Show de Vida – Canales de Xochimilco

 

Os Canais de Xochimilco são considerados Patrimônio Cultural da Humanidade e ficam ao sul da Cidade do México. São uma atração tipicamente mexicana, pois é possível fazer passeios pela zona de canais com barquinhos (trajineras) cheios de cores, folclore e vida. Os mexicanos amam celebrar festas nas trajineras, por isso ver famílias, amigos e casais comemorando algo com comidas e bebidas é um cenário bem usual em Xochimilco. Pode-se dizer que Xochimilco é uma “Veneza mexicana” e, como um bom marco do México, conta com muitas cores e vida!

 

Muitas cores nos Canais de Xochimilco | Foto: Roberta Cavallaro

 

Durante o percurso, diversas trajineras coloridas se cruzam e é possível ouvir os mariachis, degustar de comida típica feita em barcos por senhoras da região, ver a Isla das Munecas (Ilha das Bonecas) e ainda fazer uma pausa nas floriculturas que beiram os canais. Vale mencionar que as plantas têm preços muito bons! Dica: não deixe de provar elote, com mayonesa y quseo (espiga de milho com maionese e queijo).

 

Vale ressaltar que essa região foi inicialmente colonizada pelos astecas que vinham se esconder dos espanhóis e por isso, iniciaram um processo de estaqueamento dos canais para povoar essa região.

 

As trajineras, símbolo nacional | Foto: Roberta Cavallaro

 

O custo do passeio é de MXN 350 por barco, o equivalente a R$60,00 por barco, em um trajeto de uma hora.