4 experiências gastronômicas para curtir em São Paulo

Túnel Anhangabaú e Avenida 23 de Maio vistos do Viaduto do Chá | Foto por Diego Torres Silvestre (CC BY 2.0)

Túnel Anhangabaú e Avenida 23 de Maio vistos do Viaduto do Chá | Foto por Diego Torres Silvestre (CC BY 2.0)

 

Todo mundo sabe que São Paulo tem uma infinidade de atributos para oferecer a turistas e moradores, e gastronomia é um deles. A cidade em números assusta – São Paulo produz 1 milhão de pizzas por dia, tem 20 mil bares e 15 mil restaurantes, abarcando 52 tipos de cozinha –, mas é por meio da culinária que podemos vivenciar a multiculturalidade da metrópole.

 

São Paulo, como um grande centro de economia criativa, é geradora de tendências, então que tal sair do circuito tradicional e experimentar a riqueza culinária de outro jeito? Confira aqui quatro experiências gastronômicas para curtir na capital paulista:

 

1. Jantar na casa de um chefe peruano

cena3

Ceviche, prato tradicional da cozinha peruana | Foto por Cena/divulgação

 

A gastronomia peruana é mundialmente conhecida pela riqueza de seus pratos e pela variedade de temperos e de ingredientes. Quem a experimenta se apaixona, e nada melhor que saboreá-la num ambiente aconchegante, cálido, compartilhando um momento descontraído e de trocas de ideias com o chefe.

 

Essa é a proposta do Cena, o jantar comandado pelo Victor Lopez, peruano que chegou a São Paulo há dois anos e, um pouco por acaso, um pouco por saudade dos temperos e da boa comida de casa, resolveu empreender na área gastronômica. A ideia é receber poucos clientes, com reserva prévia, na varanda da sua casa, no bairro Pompéia.

 

O jantar dura por volta de 2h e tem quatro partes: um “rompe boca”, a entrada, o prato principal e a sobremesa. O menu, preparado especialmente para cada ocasião, responde ao perfil e ao gosto do cliente, que, na hora de fazer a reserva indica as suas preferências. Entre os favoritos nunca falta o tradicional ceviche.

 

Victor também leva a cozinha peruana a eventos e aniversários e ministra workshops, uma experiência interessante para aprender a preparar o ceviche. Vale a pena experimentar, comida peruana tem que ser preparada por chefe peruano mesmo, afinal, eles convivem desde pequenos com uma variedade de sabores inigualável.

 

O jantar não tem valor fixo, já que depende do próprio paladar do cliente (o que pode vir a encarecer o custo), mas, normalmente fica na média de R$ 150 por pessoa. Dê uma olhada na página do Facebook do Cena para reservar.

 

2. Aprender a cozinhar pratos sírios

| Foto por Paula di Luciano

Prato sírio | Foto por Paula di Luciano

 

Talal abandonou a Síria junto com a esposa e os dois filhos (a terceira filha é brasileirinha) no final de 2013. Formado em engenharia mecânica, deixou para atrás uma vida organizada com casa, escritório e lojas de roupa infantil. Forçosamente teve que ir em busca de um futuro melhor e, com muito esforço e persistência, conseguiu se reerguer no Brasil.

 

Ele se reinventou e, aproveitando os conhecimentos familiares de culinária, abriu o Talal Comida Síria, que faz entregas na cidade de São Paulo. Para complementar, ministra aulas de cozinha síria, uma rica experiência, não apenas gastronômica, mas também cultural – oportunidade única de conhecer de perto a história de superação de um refugiado que dá um exemplo de empreendedorismo. Na aula, junto com a família e com a ajuda dos participantes, ele prepara um típico café da manhã sírio e também porções de homus e falafel, receitas fáceis e deliciosas para fazer em casa.

 

As aulas de culinária custam R$ 90 por pessoa e são organizadas pelo Migraflix, um projeto social nascido a partir do objetivo de empoderar imigrantes e de ajudá-los a se inserir na nossa sociedade. O projeto colabora também para que os participantes conheçam a realidade de pessoas de outras culturas e para que quebrem preconceitos. As datas das aulas e os ingressos estão disponíveis no site do Migraflix.

 

3. Participar de um jantar secreto

Mini arroz salteado com castanha de caju, queijo coalho tostado, mini tomates e cambuquira | Foto por @jantarsecretooficial/Instagram

Mini arroz salteado com castanha de caju, queijo coalho tostado, mini tomates e cambuquira | Foto por @jantarsecretooficial/Instagram

 

Para quem gosta de surpresas, o Jantar Secreto, organizado pelo chef Gustavo Rigueiral e pela jornalista gastronômica Larissa Januário, é uma experiência lúdica e divertida. Você compra um lugar na mesa via internet e, no dia do evento, eles revelam por e-mail o lugar do jantar, que pode ser de uma sala de jantar residencial a um jardim ao ar livre.

 

O Jantar Secreto é uma experiência única , não só pelo local surpresa, como também pelo menu, criado especialmente a cada edição. A única certeza é que o endereço será em algum bairro central da capital paulista. Durante 3h você poderá vivenciar um jantar fora do comum, fugindo das típicas filas para entrar em restaurantes, as quais estamos tão acostumados em São Paulo.

 

O menu inclui: couvert, petisco, entrada, prato principal e sobremesa. Duas observações bem bacanas: é possível levar seu vinho (e não é cobrada taxa de rolha) e um menu vegetariano está disponível. As edições do Jantar Secreto costumam ser mensais, os ingressos custam R$ 120 por pessoa e podem ser comprados no site do Foodpass.

 

4. Integrar-se a um tour especializado em doces

Maracons do | Foto por Sabiar/divulgação

Macarons do Paradis Délices Français | Foto por Sabiar/divulgação

 

A cultura gastronômica de São Paulo não se esquece dos doces. Para os gulosos existe o Tour Gastronômico de Doces, no Jardins, um tour a pé de 3h de duração e que acontece sempre aos sábados, às 14h. Sete docerias do bairro são visitadas e, entre os lugares, estão Bolo e Bule, Mellows Doces, Paradis, Gelateria Diletto, Chocolat do Jour, Fina Nata e Rock Candy.

 

Além das delícias saboreadas, o legal desse tour é a oportunidade de conhecer a intimidade dos locais visitados, poder trocar ideais com os proprietários ou gerentes, escutar alguns segredos da preparação e vivenciar a produção de alguns doces nas cozinhas locais. O ponto de encontro e a venda de ingressos (R$ 50 por pessoa) está disponível no site do Sabiar ou no Savor São Paulo.