10 expressões que aprendi dando a volta ao mundo com um mineiro

Nara e Bernardo em Amsterdã

 

Por Nara Alves
Nara Alves deu a volta ao mundo com seu namorado, um mineiro. Essa viagem rendeu dois frutos: o livro "66 histórias de uma volta ao mundo", e o aprendizado do idioma "mineirês".

Juntando tudo isso, Nara fará uma palestra sobre a viagem, com direito ao lançamento do livro, em Belo Horizonte, neste sábado dia 20/05, às 14h, na Livraria Leitura do BH Shopping.

E sobre o "mineirês", confira o que a escritora viajante aprendeu dessa saborosa língua.

Editora O Viajante

 

Os mineiros fizeram, muito antes dos países lusófonos, a reforma ortográfica do português. No mineirês, por exemplo, são proibidas frases com mais de três sílabas. Eu, como alguém crescida e criada na capital paulista, vim a aprender o dialeto mineirim já na fase adulta, durante a volta ao mundo que fiz com meu namorado Bernardo, que é de Conselheiro Lafaiete.

 

1. Áiói é o tempero que mais usamos durante a viagem, além de sal e pimenta. Não fizemos as contas, mas, macarrão ao áiói certamente foi o prato que mais comemos ao longo do ano.

 

2. Massagado é como ficava tudo que enfiávamos dentro das mochilas. Uma dica é pendurar as roupas num cabide durante o banho quente para o vapor desmassagar a roupa.

 

3. Oncotô e proncovô são perguntas feitas em situações recorrentes quando se está há meses pingando de lugar em lugar. Chega uma hora que não se sabe onde está nem pra onde ir.

 

4. Ôns é o meio de transporte público mais econômico em todos os lugares do mundo. Nem sempre é o mais rápido ou o mais confortável. Mas é o mais barato, muito provavelmente.

 

Bernardo (e uma criança fofa) no Nepal

 

5. Mi é uma das palavras do mineirês mais amplamente utilizadas. Possui variações como miará, spigadimi, bolodimi e midipipoca.

 

6. Répálá é a forma como o mineiro lhe pede mais espaço. Como se você fosse um móvel que precisasse ser arrastado, afastado ou colocado em outro canto.

 

7. Garrado é o adjetivo que define o trânsito caótico das capitais de praticamente todos os países subdesenvolvidos do mundo. Em geral, é usado assim: “nú! tágarrado!”.

 

8. Passeio é o local por onde o mineiro caminha, também conhecido como calçada. Quando o passeio tágarrado, vai pela rua, mesmo.

 

Nara e Bernardo na Grande Muralha da China

 

9. Dintirim é uma medida de tempo usada para qualquer atividade que dure muito tempo, mesmo que, na realidade, não dure o dia inteiro.

 

10. Zóidacara é o quanto custa todas as coisas que custam mais do que o custo em Minas Gerais.