10 dicas para viajar durante a gravidez

Barrigão em viagem à Argentina | Foto por Paula Di Luciano

Em viagem à Argentina | Foto por Paula Di Luciano

 

Por Paula Di Luciano

 

Antes de ficar grávida eu pensava: como vou fazer para ficar sem viajar por nove meses… mas quando a hora chegou fui aprendendo e percebendo que não precisava abrir mão do que eu mais gosto. Viajei duas vezes para Argentina e uma vez para Itália entre os quatro e sete meses de gravidez. Agora, chegando ao fim, fico feliz de poder ter aproveitado, de um jeito mais cuidadoso, a experiência de viajar.

 

É claro que é preciso tomar algumas medidas e ser mais cautelosa. Digamos que durante a gravidez você se transforma em uma pessoa mais delicada e mais responsável pelo seu corpo e se alguma coisa acontecer você vai se sentir duplamente preocupada, em parte porque você esta longe do seu médico e é tudo novo, pelo menos para mim.

 

Então aqui vão algumas dicas:

 

01. Entenda o risco de viajar em cada período

Não é recomendável viajar nos primeiros três meses, já que este é um momento de grandes mudanças hormonais e quando a pessoa costuma sentir mais enjoos, dores de cabeça, náuseas e muito sono. Também é o período em que acontecem a maioria dos abortos espontâneos, casualidade que não tem nada a ver com algo que você tenha feito, mas que, se alguma coisa acontecer, você pode se sentir culpada ou preocupada por não ter seu médico por perto. Talvez não seja essa a hora de curtir férias, mas não há nenhum problema se você tiver que pegar um voo.

 

02. Leve sempre atestado médico

Para se poupar de inconveniências, é bom garantir atestados médicos para apresentar no check-in. Companhias aéreas podem pedir uma autorização médica que ateste que você não apresenta contraindicações para viagens. No meu caso, viajei com LAN/TAM, Aerolíneas Argentinas e Alitalia – em duas oportunidades me perguntaram se eu levava atestado, embora não tenha sido necessário mostrá-los. É importante que seu médico saiba que você esta planejando viajar, pois é ele quem acompanha seu histórico de saúde e vai avaliar se está tudo bem. Afinal, cada organismo reage de forma diferente.

 

03. Use a gravidez a seu favor

Você é prioridade… só que não. Infelizmente, não vão te transferir para a classe executiva só porque você está grávida, a menos que você pague a diferença de preço. Mas nunca é demais perguntar, com um sorriso no rosto, se algum assento executivo está disponível ou, pelo menos, se é possível sentar-se na primeira fila da classe econômica, onde há alguns centímetros a mais de espaço.

 

04. Escolha o assento adequado no avião

Mais importante ainda é escolher o assento do corredor. Você vai precisar ir ao banheiro mil vezes e, especialmente em viagens longas, é bom levantar várias vezes para esticar as pernas, caminhar no corredor e fazer alguns exercícios de alongamento. Para o desconforto nas pernas é útil levar meias de compressão.

 

05. Preste atenção na comida

A comida é um assunto fundamental e, se você é do tipo de pessoa (que nem eu) que quer experimentar tudo o que o seu destino de viagem tem a oferecer, você pode sofrer um pouquinho. Na verdade os cuidados são os mesmos que você deve ter na sua cidade: há alimentos que são indicados evitar, como mariscos e carnes cruas, e verduras e frutas devem ser bem lavadas. No meu caso, talvez um pouco extremista, evitei peixes de qualquer tipo e só comi carne super bem passada, quase carbonizada. Sempre que saía levava água e algo saudável para comer. Também é importante dar prioridade aos alimentos frescos e produzidos no local.

 

Em Positano, Itália | Foto por Paula Di Luciano (arquivo pessoal)

Em Paestum, Itália | Foto por Paula Di Luciano (arquivo pessoal)

 

06. Leve todos os remédios necessários

Antes de viajar é bom perguntar ao médico que remédios você pode ou não tomar em caso de dores de cabeça, cólicas, problemas estomacais, infecção urinária, azia. Você deve levar tudo com você na viagem, já que em muitos países não é possível comprar livremente certos medicamentos. Levar a receita ou indicação médica também é uma boa.

 

07. Contrate um seguro especial

Existem seguros médicos especiais para gestantes, é bom garantir!

 

08. Respeite os limites do seu corpo

Você pode viajar, mas não é hora de ir a Machu Picchu, nem ao Salar de Uyuni, nem de fazer trilhas que duram horas ou uma viagem para o sudeste asiático (que exija tomar vacinas que gestantes não podem tomar). Visitar lugares de altitude elevada pode ser arriscado e andar durante horas sem descansar não é fácil. Você vai precisar de um pouco mais de conforto, comida saudável por perto e acesso regular a banheiros. Respeite os limites do seu corpo.

 

09. Evite viajar nas últimas semanas da gravidez

No último trimestre, uma nova etapa começa e, na reta final, o seu corpo já está bem diferente, sendo difícil achar posições confortáveis. As companhias aéreas não permitem o embarque a partir da 37ª semana de gestação; algumas ficam com receio depois da 32ª semana, mas, levando atestado médico, não tem porque te impedir viajar. Eu voltei da última viagem com 31 semanas.

 

10. Curta o momento que está por vir

A medida que o dia do nascimento se aproxima, a concentração está focada em outra coisa e não mais em curtir uma viagem, mas eu não vejo a hora de começar novas aventuras de viagem com uma integrante a mais na família.