Descobrindo o Rio: 10 atrações no Parque Nacional da Tijuca

Vista da Barra da Tijuca a partir da Pedra Bonita | Foto: Grazi Calazans

 

Por Grazi Calazans

 

Uma das melhores coisas em uma viagem são os lugares especiais que conhecemos. Mas, às vezes, para encontrarmos esses lugares, não precisamos ir muito longe, não precisamos sequer sair da nossa cidade. Enquanto morei no Rio de Janeiro, fiz questão de explorar esses lugares especiais e um deles, sem dúvida alguma, é o Parque Nacional da Tijuca.

 

Com uma área total de 3.972 hectares, o Parque Nacional da Tijuca é a quarta maior área verde urbana do Brasil. Declarado reserva da Biosfera pela Unesco, em 1991, esse parque é um dos mais visitados do país, recebendo aproximadamente 3 milhões de visitantes por ano. O Parque é dividido em 4 setores: Floresta da Tijuca, a maior floresta urbana do mundo; Serra da Carioca, onde se encontram as atrações mais famosas, como o Cristo Redentor e o Parque Lage; Pedra Bonita e Pedra da Gávea, uma área mais isolada, mas muito procurada para esportes de aventura; e, por último, Pretos Forros/Covanca, que não possui atrações mapeadas.

 

Estrada das Paineiras  | Foto: Grazi Calazans

 

O Parque pode ser avistado a quilômetros de distância com suas enormes cadeias montanhosas do Maciço da Tijuca. Trata-se de uma área protegida pioneira no quesito ambiental, uma vez que é mais antiga até mesmo que Yellowstone, o primeiro Parque Nacional criado no mundo, em 1872, nos Estados Unidos.

 

Os acessos podem ser feitos da zona norte (pela Tijuca), da zona oeste (pela Barra da Tijuca) e da zona sul (pelo Jardim Botânico e Gávea). São inúmeras atrações para todos os públicos, desde leves caminhadas, áreas de churrasqueiras e playgrond para crianças, até trilhas com escaladas e rampa de voo livre. A Transcarioca, a maior trilha urbana do mundo, tem grande parte do seu percurso dentro do Parque.

 

Setor Floresta da Tijuca

 

A maior floresta urbana do mundo tem uma encantadora curiosidade: trata-se de uma vegetação secundária, isto é, uma área totalmente replantada pelo homem. Na época do Segundo Reinado, o desmatamento causado pelas fazendas de café estava prejudicando o abastecimento de água potável da então capital do Império, o Rio de Janeiro.

 

Lago das Fadas | Foto: Grazi Calazans

 

Dom Pedro II ordenou o reflorestamento do local e o major Archer iniciou o trabalho, plantando 100.000 mudas em 13 anos, principalmente espécies nativas da Mata Atlântica. Atualmente, vivem no parque mais de 230 espécies de animais, entre eles macaco-prego, quati, cutia, cachorro-do-mato, sagui, beija-flor e sabiá.

 

Foram inúmeras vezes que aproveitei a Floresta da Tijuca como o “quintal de casa”, fazendo diversas trilhas, visitando seus picos, grutas e cachoeiras. Apesar de não ser um dos mais famosos cartões postais da Cidade Maravilhosa, deveria com certeza entrar no roteiro de todo mundo que a visita. E o melhor de tudo é que toda esta diversidade é gratuita!

 

Confira algumas atrações dentro do setor Floresta da Tijuca:

 

 

Setor Serra da Carioca

 

A Serra da Carioca faz parte do Maciço da Tijuca, compreendendo aproximadamente 131km2 na parte leste da cidade. Próximo ao oceano, esse setor é formado por uma grande variedade de serras e por morros, alguns com vertentes para a Zona Norte, outras para o centro da cidade, outras em direção ao Oceano Atlântico e outras ainda para a Baixada de Jacarepaguá. Um grande trecho da Serra forma o setor do Parque Nacional da Tijuca que abriga os cartões postais mais famosos do Rio de Janeiro, como o Cristo Redentor e o Parque Lage.

 

Mirante da Vista Chinesa | Foto: Grazi Calazans

 

Entretanto, são muitas as atrações que compõem este setor do Parque, entre cachoeiras, grutas, trilhas, mirantes e ruínas; a maioria delas de acesso gratuito. Basta levar água fresca, câmera fotográfica e disposição para aproveitar as paisagens e o ar puro proporcionado pela mata.

 

Confira atrações menos famosas desse setor:

 

Setor Pedra Bonita/Gávea

 

O setor da Pedra Bonita e Pedra da Gávea é o menor setor do Parque Nacional da Tijuca, mas é onde se concentra o maior espaço para a prática de esportes de aventura. São muitas vias de escalada – a da Pedra da Gávea é uma das mais procuradas do Brasil, além da rampa de voo livre da Pedra Bonita, uma das mais famosas e movimentadas do mundo. Vale a pena conhecer este setor, com uma das vistas mais belas da Cidade Maravilhosa.

 

 

O morro Dois Irmão visto da Pedra Bonita. | Foto: Grazi Calazans

 

Visite!

 

O site do Parque Nacional da Tijuca oferece uma gama de informações, além de um mapa interativo muito bacana, que você pode usar para planejar a sua visita de acordo com as suas prioridades. Na sua próxima viagem ao Rio, não deixe de incluir ao menos uma atração do Parque Nacional da Tijuca e aproveite a Cidade Maravilhosa de um ponto de vista diferente!